sábado, 16 de março de 2013

Tratamento rápido de HIV resulta em cura funcional de até 15%

Pesquisadores franceses descobriram que o tratamento rápido logo depois da infecção pelo vírus HIV pode resultar na cura funcional de até 15% dos pacientes, quando o vírus da doença não desaparecee do organismo, mas entra em remissão. Com isso, o paciente não precisa mais tomar remédios.

Os cientistas, do Instituto Pasteur, em Paris, analisaram os casos de 14 pessoas com o vírus da aids, que passaram a se tratar logo após o vírus ter sido detectado e depois deixaram a terapia. Nesse grupo, o vírus não voltou a se proliferar.

Os pacientes iniciaram o tratamento cerca de dez semanas após a infecção pelo HIV. Eles foram ao hospital para tratar outros problemas de saúde, quando tiveram o diagnóstico precoce do vírus por meio de exames de sangue. Em média, o grupo tomou antirretrovirais durante três anos e então os medicamentos foram interrompidos.

Geralmente, o vírus retorna quando o tratamento é interrompido. Porém, isto não ocorreu com esses pacientes. Alguns deles conseguiram, inclusive, controlar a quantidade do vírus no organismo por dez anos.

A pesquisa francesa foi divulgada na publicação especializada PLoS Pathogens e ocorre depois da notícia da cura funcional de um bebê depois de um tratamento precoce nos Estados Unidos.

Em nota, o Ministério da Saúde do Brasil informou que está atento às inovações tecnológicas no campo do tratamento da aids no mundo. A pasta não se manifestou sobre o caso francês. Sobre o caso de cursa funcional do bebês, o órgão disse que os “resultados do estudo da 'cura' do bebê americano, recentemente divulgado pela imprensa, não estão publicados, ainda não é possível uma posição oficial sobre o assunto”.

Segundo o ministério, é possível reduzir a taxa de transmissão do vírus de mãe para filho durante a gravidez de 30% para menos de 1%. No Brasil, a recomendação é o uso de antirretrovirais combinados na gestante, parto cesáreo (quando indicado), medicamento para o recém-nascido por seis semanas para evitar a transmissão e a não amamentação.

O protocolo nacional prevê que a gestante deve fazer o teste anti-HIV durante o pré-natal. Em caso de diagnóstico positivo, ela passa a ser acompanhada por um Serviço de Atenção Especializada em HIV/aids (SAE) e no momento do parto é encaminhada para uma maternidade de referência do Sistema Único de Saúde (SUS) capacitada para atendê-la.

Se a gestante não tiver feito o teste de aids no pré-natal, ela tem direito ao teste rápido no momento do parto e, e se der positivo, todos os procedimentos para evitar a transmissão devem ser tomados pela equipe de saúde.


Fonte: Agência Brasil

Um comentário:

  1. Meu nome é Donald Boykins, estou aqui para apreciar o Dr. Akhigbe por usar seu remédio herbal para curar meu vírus Herpes. Faz cerca de 3 anos e 6 meses que estou vivendo com esse vírus e isso tem sido um problema sério para mim. Fiquei tão confuso por estar tomando vários remédios para curar, mas todo o meu esforço foi em vão, uma manhã. Eu estava navegando na Internet, então vi vários testemunhos sobre o Dr. Akhigbe curando pessoas do vírus Herpes e imediatamente entrei em contato com o Dr. Akhigbe em seu e-mail: drrealakhigbe@gmail.com, contei a ele sobre meus problemas e ele me disse que devo ser curado, ele me deu algumas instruções e que eu segui corretamente. então ele preparou um remédio herbal e me enviou, que eu usei por 2 semanas e fui curado, tudo foi como um sonho para mim e meu vírus Herpes se foi totalmente, dr .Akhigbe, Deus te abençoe e lhe dê mais poder e capacidade Não sei se existe alguém que sofra de herpes vírus ou de alguma dessas doenças. DIBETAS, CÂNCER, HIV / AIDS, HERPES HEPATITIS A e B
    , DOENÇA CARDÍACA, DOENÇA CRÔNICA etc. Por que você não entra em contato com o dr.Akhigbe hoje e está livre de suas doenças, porque ele é um médico muito bom e honesto e também é chamado de padrinho do fitoterapia, entre em contato com ele por e-mail; drrealakhigbe@gmail.com ou whatsApp ele em 2348142454860
    site https: drrealakhigbe.weebly.com

    ResponderExcluir